quarta-feira, 6 de maio de 2009

dar ânimo

Morreu há dias o Vasco Granja. Quem...?!, perguntam uns quantos sub-trintas presos nos meandros da ignorância tecnológia dos tempos que correm. Eu ainda sou novinha, pois sou - ou gosto de pensar que sim - mas, do alto dos meus 31 anos, encho o peito de orgulho por ter sido criança numa época em que o Vasco Granja nos metia desenhos animados pelos olhos adentro e falava connosco, seus "amiguinhos", com uma paixão e dedicação enorme ao que pode considerar-se uma causa. Para perceber o quanto e quantos de nós foram marcados para toda a vida - e ainda bem! - pelo senhor que eu já conheci de óculos e cabelo grisalho, foi ver a quantidade de homenagens informais em tudo o que é blog, Facebook, Twitter, MSN...
Sem mais paleio recomendo a leitura do texto a propósito da sentida morte de Vasco Granja no Juramento Sem Bandeira.
E, a despropósito, eis o resultado - rude, básico, espontâneo, apressado - do primeiro exercício de animação de volumes em stop-motion do workshop em Cinema de Animação que estou a fazer na ATLA-Associação de Tempos Livres de Alfama. O exercício é um trabalho de grupo e eu animei a revista que trazia na mala. Não é digno de Vasco Granja, mas é graças a ele.

exercicio from Laura Alves on Vimeo.

3 comentários:

n. disse...

Laura, perdemos o Vasco Granja mas teremos ganho uma vida de imaginário aos quadradinhos. O Vasco andou comigo ao colo. Quase toda a BD que li em criança foi-me oferecida por ele (fomos vizinhos, quando vivi em Lisboa... há uns 40 anos atrás... mas as nossas famílias mantiveram o contacto). Um brinde a esse Senhor! Bjs emocionados. Nuno

ebola disse...

O Vasco Granja deixa saudades, é dificil esquecer as "bonitas" (como ele tanto gostava de chamar) animações checas que criaram e desenvolveram o bichinho da animação em toda uma geração.

Naked Lunch disse...

:(

para lá dos programas da rtp era muito mais dentro da animação... uma homenagem, tb, ainda pouco visível... mas está lá...