segunda-feira, 9 de junho de 2008

sol



Ao largo, o rio azul. Os pescadores de sol na cara e porta do carro aberta, escoando a música. Estendo o pano numa sombra. Deixo os pés ao sol. Fico a relvar durante horas a fio, livros como companhia, cães ao fundo ladram. O corpo dói-me. Estendo-me e os pensamentos repousam. Hoje vou viver neste quadrado de relva. Não preciso de mais nada.

9 comentários:

Naked Lunch disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
laura disse...

Há relvar e relvar, há ir e voltar. :)

Naked Lunch disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
laura disse...

A humidade faz mal aos ossos... Mas o cheiro a relva é fixe. E o barulho dos carros, ao longe...

Naked Lunch disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
laura disse...

zzzzzzzzzzzzzzzzz... :)))

Naked Lunch disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jazz Manel disse...

Relva & Bohemia o encontro perfeito!!!

Pedro_B disse...

Bela imagem que ofereceste, aqui. Fiquei com vontade de relvar.